Header Ads

Seo Services

Sociedade da Justiça - Segunda Guerra Mundial: Assistimos o filme!


 Desde seu anúncio, muita gente aguardava ansiosa pelo grande "debút" da primeira equipe da DC (antes mesmo até da Liga da Justiça que foi uma continuação natural) a Sociedade da Justiça.

Lembrando que tivemos uma versão "onírica-alternativa" na animação "Liga da Justiça sem limites" (os realizadores disseram que se colocassem as versões corretas teriam conflito de interesses).

A SJA já teve aparições em Smallville como também vislumbres em Legends of Tomorrow e também Stargirl.

Em meados dos anos 2000 houve uma retomada da equipe com novos e velhos rostos pelas mãos talentosas de James Robinson e Geoff  Johns tendo conseguido lugar especial no coração da "nova geração" até hoje. 

Com o desas.. digo, reformulação dos Novos 52, a equipe quase sumiu do mapa dando lugar a revista "Terra 2" (que por sinal. sucesso de crítica).


Inclusive teremos uma versão de parte da equipe no vindouro filme do Adão Negro, especula se que já que os "medalhões" seguem patinando nos cinemas, a WB aposte em personagens igualmente poderosos mas pouco ou quase nada conhecidos.

Esta animação é a segunda do "novo universo" já que o antigo se encerrou em "Guerra de Apokolips" e já teve um início com a animação "Homem do amanhã".

Essa animação não se apega a nenhuma HQ específica, mas é um apanhado de várias ideias e conceitos, atendo se a essa expressão, vamos a nossa crítica.

O presidente Roosevelt, a pedido de Steve Trevor, analisa o currículo de alguns super seres que existem no mundo mas são meio descreditados, pelo fato de super seres ainda serem novidade no mundo. 

Como Hitler iniciou a caça a artefatos místicos e de tecnologia avançada, o presidente autoriza essa "equipe de resposta" seja pra "levantar a moral dos exércitos" ou pra salvar inocentes no fogo cruzado.

Essa é a premissa da história, simples e direta. O fato é que: TÊM MUITO MAIS COISAS.

No mundo "comum" (ou Terra Prime) Flash (Barry Allen) acaba sendo tragado pra outra dimensão durante uma batalha entre (surpresa!) Superman e Brainiac.

Flash vai parar nesse mundo da SJA onde os membros são Gavião Negro, Canário Negro, Homem hora, Jay Garrick e a líder Mulher Maravilha. (e também Steve Trevor como contato militar e um correspondente da imprensa chamado "Shakespeare").

Flash acredita estar no passado de sua mesma Terra e tenta ajudar os heróis e se entender nesse lugar, os heróis meio contrariados acabam aceitando.

A animação é boa? Sim, muito! As batalhas são de encher os olhos, a arte dos personagens é relativamente a mesma de "Homem do amanhã" mas aqui há uma oscilação, quando eles estão parados, é uma arte, quando estão em batalha é outra ligeiramente diferente, além dos cenários em alguns momentos parecerem retirados de página de mangá.

Não é necessariamente uma reclamação, mas a arte teve esse "cuidado" ou seja, se você gosta de "constância" nos traços ou mesmo liga pra isso. Aí está minha consideração.

A animação não se preocupa muito com introdução de personagens ou de ser expositiva demais, a história vai caminhando organicamente e mesmo que por pouco tempo você percebe as características e diferenças entre os personagens, o Gavião Negro é melancólico e sisudo, o Flash Jay Garrick e também Homem hora (que infelizmente é o que tem menos destaque) fazem as vezes dos cientistas solucionadores, enquanto Canário Negro tem algumas tiradas meio sarcásticas mas sem serem forçadas e a Mulher Maravilha é a líder destemida (detalhe que algumas pessoas perceberam que a dublagem é similar a voz da atriz Gal Gadot) e também destaque pras cenas de luta que tem alta criatividade e coreografias grandiosas. Você sente o quebrar de paredes ou o impacto de golpes.

Justamente pela animação ter a sensação de "gente que já vimos em algum lugar" que a história ás vezes parece meio corrida ou como se não fosse necessariamente um longa, mas sim um episódio de animação de streaming (isso não é necessariamente um demérito) .

Eu explico: essa animação traz basicamente a ideia de Multiverso. Não é simplesmente uma ida do Flash ao "passado" mas sim outra Terra completamente diferente.

Muitos elementos ali mostrados você percebe que serão usados mais adiante, seja o (spoiler médio) Sr Destino tendo ciência de outros universos, como o próprio Flash aprendendo mais sobre os próprios poderes e sobre seu próprio Futuro. 

A premissa de 2ª Guerra Mundial está lá, mas é apenas um mero pano de fundo frente a outras batalhas que ocorrem e outros personagens que surgem, têm se duas grandes surpresas no longa uma que é a grande ameaça do filme e faz frente ao grupo e a outra é um aliado que também faz toda a diferença na batalha.

Como antes eu falei sobre criatividade, chega um momento que parece que esqueceram "O resgate do Soldado Ryan" e vira uma espécie de "Pacific Rim". (e isso não é demérito também).


É um plano tão "intrincado" que se percebe nas ramificações dessa animação. Que um personagem específico que na animação NÃO TEM NOME. (Precisei olhar no IMDB, pra se ter uma ideia de quem era esse cara).

Detalhe que ao se descobrir quem é ele, você percebe adiante o que se avizinha nas animações da DC.

Tivemos um grande "primeiro episódio" de uma grande trama surgindo sem que isso fosse necessariamente dito.

Como animação sozinha ela diverte, mas não traz muito de "nossa mudou minha vida!", mas se você mudar a ótica como fã conhecedor de cada minúcia da DC aí ela cresce.

Eu mesmo demorei a identificar a proposta, mas assistindo uma segunda vez e debatendo com amigos, aí eu vi a real intenção.

Nota: 8,5. Arte Melhorada, roteiro direto e criativo.

Até a próxima.



Nenhum comentário